SarauEsperançar


No dia 3 de dezembro, o Departamento de Arteterapia realizou o Sarau Esperançar, como forma de celebrarmos mais um ano juntas! Tivemos diversas apresentações em vídeo de membros do Departamento: alunas, docentes e arteterapeutas formadas pelo Sedes. As mediadoras Ligia Kohan e Natália Pieczarka abriram o encontro com o conto “A Caixa de Pandora”, que trouxe, entre outras reflexões, a importância da Esperança!

O primeiro bloco do evento foi iniciado com a apreciação de dois vídeos, das turmas de especialização dos primeiros anos. "Um caminho traçado com muitas mãos", da turma mensal, ilustrando de forma poética a narrativa de trabalhos realizados pelas alunas e “Todas Nós”, da turma semanal, composto com imagens de autorretratos e máscaras, realizados durante as aulas da Professora Iraci Saviani. O segundo bloco foi aberto com a apresentação de dança “Sonhário'', da Valeria Carelli Ferrari, utilizando asas de Ísis com a proposta de oferecer um espaço de sonho. O Sarau seguiu com a apreciação do "Remendouro", da Coletiva Entreolhares, composta por Anna Clara Hokama, Cris Murad, Iara Simonetti Racy, Julia Fontes e Natália Pieczarka, trazendo ao público a reflexão sobre como temos utilizado os nossos melhores recursos para remendar os pedaços partidos de vida - obra inspirada no Kintsugi, Depois tivemos a apresentação de Nellie Solitrenick, “Nascidas em 55 e o autorretrato na pandemia”, com fotografias de mulheres que, em 2015, estavam completando 60 anos e suas reproduções atuais. Na sequência, os espectadores apreciaram as obras da Ana Alice Francisquetti, série filosófica produzida em formato de cadernos de arte durante a pandemia de 2020 e 2021, titulada “O par de sapatos de Van Gogh”.

E, para fechar o esse bloco assistiram ao curta “Casulo de Oxum” - performance que trouxe algumas reflexões acerca do casulo que nos foi imposto e seus desdobramentos no processo de metamorfose, da Ligia Kohan. Após um pequeno intervalo, o Sarau foi reaberto e o terceiro bloco iniciou com o vídeo “EncontrArte Bienal”, trazendo as realizações e ida à 34ª Bienal do grupo EncontrArte, composto por membros do Departamento e coordenado por Iraci Saviani, e a “Performance Tributo a Jaider Esbell”, produzida por Nádia Tobias, uma poesia corporal em homenagem póstuma ao artista plástico e ativista indígena. Na sequência, Flávia Florencio mostrou a instalação “Templo”, baseada nos aprendizados sobre os pensamentos divergentes, do dadaísmo. Depois, foi a vez de Verônica Patricia Aravenaa Cortes apresentar “A vida em seus ciclos, um ponto muitas linhas” - uma discussão sobre os ciclos da vida e os mistérios da transformação, utilizando alguns dos trabalhos das alunas da turma mensal que iniciou em 2019. O Sarau seguiu com Daniele Santos Galeazzo e seu estudo com colagens digitais, intitulado “Mergulho”. E para fechar o terceiro e último bloco, a Casa 81, composta por Iara Simonetti Racy e Natália Pieczarka, presenteou os demais com o vídeo “Rasgar-se: sombras em movimento” - um processo artístico sobre angústias e transformações, em que o concreto e o sensível se tocam com dores e bênçãos. Depois de uma gostosa partilha em grupo, sobre as ressonâncias do Sarau, o encontro foi encerrado por Valéria Carelli Ferrari, com uma proposta de respiração, com palavras de virtudes compassivas, em que cada participante ofereceu simultaneamente um movimento para oferecer ao grupo numa dança de compaixão!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo